Especial 2013: Depois do topo

Chegar ao topo não é fácil. Manter-se no topo é mais difícil ainda. É uma sabedoria popular, mas que se aplica em quase todos os esportes. O Pinheiros/SKY chegou ao topo da América jogando muito bem e finalmente derrotando o Lanús, seu algoz argentino por duas vezes no torneio. A nova missão era manter-se na rotina vencedora.

Samuel Vélez/FIBA Américas

Samuel Vélez/FIBA Américas

Em sua volta ao Brasil, com taça na mão e foco no Novo Basquete Brasil que já corrida para os playoffs, o time não conseguiu desenvolver o mesmo jogo. O cansaço da longa viagem até Porto Rico quase eliminou o time nas oitavas-de-final, contra a boa equipe da Winner/Kabum Limeira. Entretanto, os pinheirenses se superaram e avançaram para enfrentar o Unitri/Uberlândia.

O mais novo campeão da América lutou, levou a disputa até o quinto jogo, mas caiu num apertado que os mineiros foram melhores. Foi o fim de um ciclo para o time, que terminou o campeonato nacional na sétima colocação.

Para a nova temporada, o time enfrentaria o Campeonato Paulista, o NBB e uma novidade no calendário: a volta da Copa Intercontinental de Clubes. A defesa do título da Liga das Américas ficou apenas para 2014.

O elenco

Com proposta nascida e idealizada no Brasil, a Copa Intercontinental de Clubes estava a ponto de ser retomada. A história do torneio você já leu no Blog Torcida Pinheirense, e o Pinheiros participou ativamente do retorno desse mundial de clubes. Com a confirmação do confronto contra o campeão da Europa, o clube precisaria reforçar seu elenco.

E a decisão da Copa Intercontinental não seria fácil. O adversário era o Olympiacos, bicampeão Euroliga, uma equipe extremamente forte e liderada pelo armador Vassilis Spanoulis, um dos melhores jogadores gregos em atividade.

Foram mantidos os norte-americanos Joe Smith e Shamell, o armador Paulinho e o ala Bruno Mortari. Na posição de ala/pivô, permaneceram Rafael Mineiro e André Bambu, e no pivô, Morro.

A renovação do Pinheiros veio, e abriu mais espaço para as jovens revelações, que fizeram uma boa Liga de Desenvolvimento de Basquete, a LDB, e trouxe bons reforços, estruturando a equipe para a nova temporada. Para isso, foram acertadas as saídas do pivô Bruno Fiorotto, que voltou ao Limeira; do armador Fernando Penna, que se transferiu para a nova equipe de Goiânia; e do ala Márcio Dornelles, que foi para o Macaé; além do paraguaio Guillermo Araújo, que foi jogar na Colômbia e fará parte do Capitanes de Arecibo, de Porto Rico, na Liga das Américas.

Wesley, Humberto, Lucas Dias, Caboclo e outros jogadores das equipes Sub-19 e Sub-22 foram promovidos e passaram a fazer parte do time principal. Ganharam preciosos minutos em quadra como experiência. Lucas e Caboclo foram muito elogiados pelo técnico do Olympiacos, Georgios Bartzokas, na disputa do Mundial, como novas promessas do basquete brasileiro.

Foto: Sérgio Domingues

Foto: Sérgio Domingues

As duas revelações ainda disputam a última fase da LDB, que acontece no fim do mês de dezembro. Com uma equipe contando com uma média de idade inferior aos adversários, os pinheirenses fizeram bonito e bateram várias equipes favoritas ao título e vão disputar o troféu da competição.

Os reforços

Não foi apenas de jovens promovidos que o Pinheiros de armou para o Mundial. Para a ala, Jonathan Tavernari foi chamado de volta, após uma longa passagem pelo basquete americano e europeu. Criado na base da equipe pinheirense e filho da treinadora dos times de base, Thelma Tavernari, o jogador saiu cedo do Brasil e estudou na BYU, a Universidade Brigham Young, e jogou pela mesma na NCAA, a famosa liga universitária. Em seguida, Jonathan ainda teve uma importante passagem pelo basquete italiano.

Com muita velocidade, defesa, precisão nos rebotes e um bom chute de 3 pontos (40% de aproveitamento na temporada), o camisa 45 agregou qualidade e experiência ao time, mesmo ainda sendo jovem. Além das qualidades, Jonathan também já serviu a seleção brasileira.

Luiz Pires/Fotojump

Luiz Pires/Fotojump

Em seu terceiro ano seguido no Brasil, o pivô norte-americano Steven Toyloy foi mais um reforço contratado pelo Pinheiros para a temporada que surgia. Com um desempenho crescente desde sua estreia em Limeira, Toyloy jogou no rival Paulistano antes de acertar com a equipe do Jardim Europa.

O bom posicionamento de Toyloy no garrafão garantiu um bom número de rebotes para o Pinheiros (média de quase 8 por jogo no Campeonato Paulista) e também um bom número de pontos trabalhando perto da cesta, possibilitando que o pivô, nascido na Flórida, fosse o líder de enterradas no Paulista. Antes de vir ao Brasil, Toyloy atuou pela Universidade de Cincinnati.

O pivô acabou se machucando na semifinal do campeonato paulista, ao se chocar contra um jogador de seu ex-time, o Paulistano. O resultado da trombada foi uma fratura no dedão do pé e ausência nos jogos do NBB-6 disputados em 2013. Seu retorno, entretanto, já está marcado para o mês de janeiro de 2014. O pivô deve atuar normalmente na Liga das Américas.

Toyloy

Foto: João Pires

O último reforço da equipe para a nova temporada chegou há pouco tempo, mas já é da casa. Leandrinho Barbosa foi o Melhor Sexto Jogador da NBA e é um dos brasileiros de maior sucesso na hisória da liga americana de basquete. Antes de ir aos Estados Unidos, o ala/armador foi da base do Pameiras e Campeão Brasileiro em 2002 com o Bauru.

Na NBA, o escolta jogou no Phoenix Suns e no Toronto Raptors, antes de voltar ao Brasil gaças ao locaute, espécie de greve de patrões da liga. Após uma rápida passagem pelo Flamengo, Leandrinho voltou à NBA para o Boston Celtics, onde sofreu uma lesão grave no joelho.

Neste momento, o Pinheiros foi importante em sua carreira, abrindo as postas para sua total recuperação. O atleta treinou por três meses na equipe e acertou um contrato até o fim do NBB 2013/2014. Com média de 20,4 pontos por partida, ele já é um dos cestinhas do campeonato e contribui para aumentar o nível do NBB.

Com experiência de sobra, entrosamento imediato e um arremesso preciso, Leandrinho vai, os poucos, voltando a sua melhor forma física para encarar a cansativa temporada brasileira. Ele é um reforço e tanto para manter o Pinheiros no topo das Américas e fazer com que o time finalmente consiga faturar seu primeiro NBB.

Foto: Guilherme Peixinho

Foto: Guilherme Peixinho

Na próxima segunda-feira, já com o ano do basquete encerrado, o blog trará uma retrospectiva da Copa Intercontinental de Clubes, a boa campanha pinheirense no Campeonato Paulista e o ótimo começo de NBB. Continuem com a gente!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s